mean.

Você costumava segurar a porta pra mim, agora não pode esperar pra ir embora; você costumava me mandar flores mas agora fodeu com os meus sonhos. Eu costumava te fazer rir com as idiotices que eu fazia e agora você vira os olhos, vai embora e balança sua cabeça.
Quando o brilho se for e as velas se apagarem, quando a canção tiver terminado e não tiver mais nenhum som; os suspiros começam a gritar e eu penso: Como nos tornamos tao mesquinhos?!
Como nós fomos embora?! Como você se sente quando a manhã chega e tudo está desfeito?
É por que queremos ser livres?! Bem essa não sou eu, normalmente sou forte. Eu não posso acordar pelo chão milhões de vezes antes que eu saiba que isso não durará pra sempre.
Sempre tão sentimental quando eu penso como as coisas eram, quando o amor era doce e novo e nunca tínhamos o suficiente. O banho, me lembra você me despindo com os olhos e agora você nunca me toca e você me diz que está cansado. Sabe, eu fico tão triste quando as coisas vão mal e tudo que você pensa é na diversão que tem e todas essas desculpas nunca vão significar nada.
Oh, nós dissemos coisas que não podemos voltar atrás, é como o trilho do trem acertando a pista certa; nós abrimos o vinho e nós vamos apenas respirar; mas nós deveríamos bebê-lo enquanto ainda é doce.. Pois fica (amargo) ruim, eventualmente.
Agora ficaremos juntos por que temos medo de ficar sozinhos? Nos acostumamos tanto a esse abuso que agora parece natural, mas meu amor eu apenas quero saber..

Como nos tornamos tão mesquinhos?!

0 comentários:

Raquel, 19 anos.

Raquel, 19 anos.
Se na vida eu apanho, outras vezes eu bato, mas trago a minha blusa aberta e uma rosa em botão!

moonfate ♥


Conheci uma mulher,
cujo sorriso brilhava

mesmo nunca tendo a visto, muitas vezes eu senti
seu olhar a me sorrir.

Sua alma era irmã da minha,
e em cada sonho que tinha

para lá eu me transportava,
por desejar ardentemente

ser como ela, pura alegria.

Um dos desejos que eu tinha, mais que tudo nesse mundo:
vê-la feliz e contente,
envolta na própria magia.


Mas ela me confessou,
com irreverência e desdém

ter o destino da lua:
'que a todos encanta e,
não é de ninguém.'


Eu pude ver claramente,
que a sua alma tão meiga

não era irmã simplesmente..
era cópia fiel da minha..
feliz ou infelizmente!

Sou uma filha da natureza:

quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser.
E deixo que você seja. Isso lhe assusta?
Creio que sim.
Mas vale a pena.
Mesmo que doa.
Dói só no começo.