confissões.

Confesso, ter andado inconsequente, insegura e cheia de incertezas, o tempo me trouxe tudo isso.. a certeza de não poder fazer nada, se não esperar, não me enfraqueceu, mas agora, tem me deixado com os pés mais no chão. Não sou sozinha, embora, está tenha sido minha escolha ultimamente.. em casa, tenho pensado e repensado no que seria melhor pra mim e, algo me surpreendeu. Eu ainda não sei explicar, exatamente, o que me surpreendeu, mas isso também me motivou a seguir em frente e não desacreditar de nada. Talvez, seja algo que nunca me abandonou, e resolveu despertar no momento certo. É bom, e eu não tenho medo.

Depois de algumas decepções do passado, as pessoas geralmente mudam de idéia, e resolvem, de maneira, aparentemente irrevogável, a curtir a vida intensamente, desacreditando de novas pessoas em suas vidas e por vezes, fazendo outras pessoas sofrerem com seus atos por impulso, envolvendo pessoas que nada tem a ver com seus 'fracassos ou decepções' passadas, sabe?

Quase entrei pra tal grupo de pessoas:

' estava curtindo intensamente a minha vida, mas de repente, você se dá conta que depois de cada show farto de bebidas, gritos e zueira, que depois de cada barzinho, cada balada, você sempre acaba voltando sozinho pra casa, sem ter com quem contar no dia seguinte, porque dificilmente, você encontraria alguém que queira algo sério, na mesma vida que você estava levando, certo?! Se bem que chega uma hora, que parece que tudo isso não tem mais importância, até o momento que você descobre que ainda existe SIM, alguém que te faça mudar de idéia, alguém que valha a pena, alguém que seja exatamente igual a você, alguém que mexe com você. Alguém que te prova que aquilo que você desacredita, ainda existe, e te faz sentir de novo, a melhor sensação do mundo.. mesmo que esse alguém, não seja o principal responsável por tais sensações, é aí, onde o mistério entra.. é irracional,

e bastaria saber que 'quanto mais você ama, menos tudo faz sentido.'

Ou você se entrega e vê que realmente tudo valerá a pena,

ou você vive no medo da incerteza e pode estar desperdiçando uma chance de ser feliz novamente.

1 comentários:

Eduardo 26 de novembro de 2008 04:56  

Quel..
primeiro quero parabenizá-la, pois vc escreve muitíssimo bem! fiquei q nem um bobo encantado lendo e relendo suas postagens.. adorei! rs

Mas o que mais me chamou a atenção, é que seu pensamento é mto parecido com o meu.. algo um tanto raro hj em dia né..

Mesmo ainda te conhecendo, a cada coisa nova que descubro sobre vc, fico ainda mais encantado.. pois vou vendo que vc é diferente das demais mulheres, que vc é especial mesmo, como disse quando conversamos pela primeira vez..

Quel.. nunca duvide que o amor existe.. pois ele existe sim!! O mundo de hoje se esqueceu disso, e por isso está assim..

Adoroo vc.. beijos linda

Raquel, 19 anos.

Raquel, 19 anos.
Se na vida eu apanho, outras vezes eu bato, mas trago a minha blusa aberta e uma rosa em botão!

moonfate ♥


Conheci uma mulher,
cujo sorriso brilhava

mesmo nunca tendo a visto, muitas vezes eu senti
seu olhar a me sorrir.

Sua alma era irmã da minha,
e em cada sonho que tinha

para lá eu me transportava,
por desejar ardentemente

ser como ela, pura alegria.

Um dos desejos que eu tinha, mais que tudo nesse mundo:
vê-la feliz e contente,
envolta na própria magia.


Mas ela me confessou,
com irreverência e desdém

ter o destino da lua:
'que a todos encanta e,
não é de ninguém.'


Eu pude ver claramente,
que a sua alma tão meiga

não era irmã simplesmente..
era cópia fiel da minha..
feliz ou infelizmente!

Sou uma filha da natureza:

quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser.
E deixo que você seja. Isso lhe assusta?
Creio que sim.
Mas vale a pena.
Mesmo que doa.
Dói só no começo.