valkyries!

[...]
"Mas a rotina não se alterava muito: viajar, falar nas praças, executar rituais..e seguir adiante.
E namorar. Namoravam homens que encontravam no caminho. Geralmente eram viajantes solitários, montados em possantes motocicletas, com coragem suficiente para se aproximar do grupo. Quando isso acontecia, havia um acordo - não escrito - de que Vahalla teria o direito da primeira escolha. Se ela não se interessasse, qualquer outra poderia se aproximar do homem recém-chegado. Os homens não sabiam disso. Tinham a sensação de que estavam com a mulher que tinham escolhido - embora a escolha já tivesse sido feita muito antes. Por elas.
As Valkírias bebiam cerveja e falavam em Deus. Executavam rituais sagrados e namoravam nas rochas. Nas cidades maiores, iam para um lugar público representar a estranha peça de teatro - que envolvia algumas pessoas da platéia.
No final, pediam que colaborassem com algumas moedas. Vahalla nunca participava do espetáculo - mas dirigia o que estava acontecendo, e depois passava seu lenço entre os presentes. Sempre conseguia recolher dinheiro suficiente."


[...]
As Valkírias - Paulo Coelho.

;D

· ah, era uma sexta-feira a noite e fria; passava um filme bom na televisão, mas ainda não foi o suficiente pra me tirar da frente do computador, eu andava tão viciada em internet; talvez não viciada em internet, mas na expectativa de que "o príncipe" aparecesse nela a qualquer momento.
'e cadê o príncipe que eu tanto esperava?'
- não sei, deve estar sentado em albuma banqueta de barzinho, tomando cerveja e papeando com os amigos, falando de mulheres, ou até mesmo pode ter ficado em casa..
'ele ao menos, deveria entrar na net..
' mas não entrou!

[...]

me peguei fuçando o orkut de um 'ex'.. mas isso vem acontecendo há um bom tempo..
será que eu não o esqueci ou é total falta do que fazer (ou fuçar?). Eu tenho pensado seriamente nisso, mas tô começando a me convencer de que é total falta do que fazer; é difícil a gente se desprender de um assunto mal resolvido, sempre fica aquela 'coisa no ar', coisas que você deveria ter falado ou precisaria ter ouvido pra acreditar e pra aceitar que, definitivamente, acabou!

[...]

mas, agora voltando pro lado bom da vida, amigas não me faltam..
companheiras de copo, de bar, de sábados, domingos, companheiras de sinuca, de internet, as BEST's cara! Elas tem sido minha salvação.. não me vejo mais naquela vida, assistindo a filmes de amor, escrevendo poemas e poemas de amor, pé na bunda, sofrimento, e o caralho a quatro.. agora é só curtir e esperar que o 'verdadeiro príncipe, merecedor da minha MÃO' (HAHAHAHA) venha ;D

.. enquanto isso, eu PRECISO curtir a minha vida, já sofri demais DJOW!
xô, acabou..ufa, desabafei! xD



Hoje, pouco antes de dormir, eu vi no espelho uma mulher de cabelos longos, castanhos, cacheados e levemente bagunçados; que trazia um sorriso no rosto e uma incerteza também; ela vive o melhor momento da sua vida, ela tem os melhores amigos, ela não pára em casa, curte a vida intensamente, mas ainda assim, ela espera encontrar algo que a deixe 100%.. que a complete; mas como todos sabem, sempre há um motivo para não se sentir bem o suficiente.. e refletindo sobre tudo, ela lembrou que pode arrumar o cabelo do melhor jeito, pode ter os olhos tão lindamente maquiados, vestir o mais caro e belo dos vestidos, mas ela ainda espera por alguém que a reconheça além dos tecidos, das maquiagens e dos penteados.. Alguém diferente, alguém novo que a divirta, que dê a atenção que ela merece, o carinho que ela adora, a paz que ela precisa e uma nova 'felicidade'.. que ela ainda não viveu.


_____________________ #

• AMOR x SEXO




Amor é propriedade. Sexo é posse.
Amor é lei. Sexo é invasão.
O amor é uma construção do desejo. Sexo não depende de nosso desejo, nosso desejo é que é tomado por ele.
Ninguém se masturba por amor. Ninguém sofre com tesão.
Amor e sexo são como a palavra farmakon em grego: remédio ou veneno – depende da quantidade ingerida.
O sexo vem antes. O amor vem depois.
No amor, perdemos a cabeça, deliberadamente. No sexo, a cabeça nos perde.
O amor precisa do pensamento. No sexo, o pensamento atrapalha.
O amor sonha com uma grande redenção. O sexo sonha com proibições; não há fantasias permitidas.
O amor é o desejo de atingir a plenitude. Sexo é a vontade de se satisfazer com a finitude.
O amor vive da impossibilidade – nunca é totalmente satisfatório. O sexo pode ser, dependendo da posição adotada.
O amor pode atrapalhar o sexo. Já o contrário não acontece.
Existe amor com sexo, claro, mas nunca gozam juntos.
O amor é mais narcisista, mesmo na entrega, na doação. Sexo é mais democrático, mesmo vivendo do egoísmo.
Amor é um texto. Sexo é um esporte.
Amor não exige a presença do outro. O sexo, mesmo solitário, precisa de uma mãozinha.
Certos amores nem precisam de parceiro; florescem até na maior solidão e na saudade.
Sexo, não – é mais realista. Nesse sentido, amor é uma busca de ilusão. Sexo é uma bruta vontade de verdade.
O amor vem de dentro. O sexo vem de fora.
O amor vem de nós. O sexo vem dos outros.
“O sexo é uma selva de epilépticos” (Nelson Rodrigues).
O amor inventou a alma, a moral. O sexo inventou a moral também, mas do lado de fora de sua jaula, onde ele ruge.
O amor tem algo de ridículo, de patético, principalmente nas grandes paixões. O sexo é mais quieto, como um caubói – quando acaba a valentia, ele vem e come.
Eles dizem: “Faça amor, não faça a guerra”. Sexo quer guerra.
O ódio mata o amor, mas o ódio pode acender o sexo.
Amor é egoísta. Sexo é altruísta.
O amor quer superar a morte. No sexo, a morte está ali, nas bocas.
O amor fala muito. O sexo grita, geme, ruge, mas não se explica.
O sexo sempre existiu – das cavernas do paraíso até as “saunas relax for men”.
Por outro lado, o amor foi inventado pelos poetas provençais do século XII e, depois, relançado pelo cinema americano da moral cristã.
Amor é literatura. Sexo é cinema.
Amor é prosa. Sexo é poesia.
Amor é mulher. Sexo é homem – o casamento perfeito é do travesti consigo mesmo.
O amor domado protege a produção. Sexo selvagem é uma ameaça ao bom funcionamento do mercado.
Por isso, a única maneira de controlá-lo, programá-lo é como faz a indústria da sacanagem. O mercado programa nossas fantasias.
Não há “saunas relax” para o amor, onde o sujeito entre e se apaixone. No entanto, em todo bordel, finge-se um “amorzinho” para iniciar.
O amor virou um estímulo para o sexo. O problema do amor é que dura muito, já o sexo dura pouco.
Amor busca uma certa grandeza. O sexo é mais embaixo.
O perigo do sexo é que você pode se apaixonar. O perigo do amor é virar amizade.
Com camisinha, há sexo seguro, mas não há camisinha para o amor.
O amor sonha com a pureza. Sexo precisa do pecado.
Amor é a lei. Sexo a transgressão.
Amor é o sonho dos solteiros. Sexo, o sonho dos casados.
Amor precisa do medo, do desassossego. Sexo precisa da novidade, da surpresa.
O grande amor só se sente na perda. O grande sexo sente-se na tomada de poder.
Amor é de direita. Sexo, de esquerda – ou não, dependendo do momento político.
Atualmente, sexo é de direita.
Nos anos 60, era o contrário...
...sexo era revolucionário e o amor era careta.












(Arnaldo Jabor)

chuuuuuuuuva de bruxaria •


Azuis, vermelhas, brancas flores,
Pintando o cerro dos meus olhares;
Fossem linda garoa em cores,
Molhando a tarde de ares solares.
Chamam você, bem..
Não fique aí, vem..
molhar meu beijo, te beijo também.
#
Maga magia de lua luzia a noite virando dia;
Água na boca secando na louca chuva de bruxaria;
Hoje você vem, dizia..
Hoje você vem, dizia!
#
De cada ponta de folhagem,
Cai uma gota dos nossos banhos.
Fada, samambaia, miragem;
Doces varandas, sonhos estranhos.
O que a beleza puser na mesa,
Beba sem medo, vem da natureza!
#



sábado; domingo.

é sempre assim;
quando você não pode/não quer, CHOVE;
quando você mais precisa, SECA! [sentido figurado!]

____________ -.-

- sabe quando tudo vai bem, mas parece tão preto e branco!?
eu preciso de alguém pra colorir esses quadros diários da minha vida;

- assisti "Eu sou a Lenda" com o Will Smith.. e gostei! :)
Um bom filme pra domingo a tarde, com a garganta fechada graças a esse tempo nada legal.

- Aiii, fora que minha noite de sábado foi bacana..começou bem em torno das 21h e pouco hehe,
adoro teclar com pessoas bem humoradas e safadas por msn! kOASKOPASKOPASKAPOSKO
me salvaram a noite! =)

ê broto kkkkkkkkkkk -
beeeeijos :*

Do fundo do baú! :S

1997,
novembro ainda me lembro; era fim de ano eu não tinha nada e você, um novo emprego;
foi quando tudo aconteceu..
a vida era difícil mas juntos tudo estava bem, algumas brigas claro mas, isso é tão normal quando se quer alguém, como eu quis você..
eu quis matar todos os seus amigos, falsos e fingidos, que sorriam ao me ver;
encontrava companhia num copo de bebida, num cigarro ou outra droga qualquer,
já que eu não tinha mais você!
Reaprender o caminho pra casa não foi algo tão simples, nos primeiros dias eu me perdia nos meus passos sem você, eu mal sabia o que fazer;
De vez em quando a gente se encontrava nas escadas, eu tentava dizer algo e você sempre dava risada, tudo vai acabar bem;
Quase dez anos depois, eu consigo entender; que eu tinha que continuar fosse com ou sem você;
nem sei como cheguei aqui, mas saiba que eu estou feliz;
a sua falta quase me matou; hoje eu tenho tudo o que eu sempre quis!

1997, ainda me lembro de tudo que eu quero esquecer!




______________________ que saudades de algumas épocas.

Raquel, 19 anos.

Raquel, 19 anos.
Se na vida eu apanho, outras vezes eu bato, mas trago a minha blusa aberta e uma rosa em botão!

moonfate ♥


Conheci uma mulher,
cujo sorriso brilhava

mesmo nunca tendo a visto, muitas vezes eu senti
seu olhar a me sorrir.

Sua alma era irmã da minha,
e em cada sonho que tinha

para lá eu me transportava,
por desejar ardentemente

ser como ela, pura alegria.

Um dos desejos que eu tinha, mais que tudo nesse mundo:
vê-la feliz e contente,
envolta na própria magia.


Mas ela me confessou,
com irreverência e desdém

ter o destino da lua:
'que a todos encanta e,
não é de ninguém.'


Eu pude ver claramente,
que a sua alma tão meiga

não era irmã simplesmente..
era cópia fiel da minha..
feliz ou infelizmente!

Sou uma filha da natureza:

quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser.
E deixo que você seja. Isso lhe assusta?
Creio que sim.
Mas vale a pena.
Mesmo que doa.
Dói só no começo.